Ciclismo - Volta a França do Futuro: Nélson Oliveira é o melhor português na geral com o 10º lugar

A Selecção Nacional mostrou-se por intermédio de Nélson Oliveira, integrante da principal fuga de uma etapa disputada a alta velocidade e que deitou por terra Marco Cunha. No termo do segundo dia de prova, Portugal entrou no “top-ten”

Jean-Lou Paiani (França B) triunfou na segunda etapa da Volta a França do Futuro após percorridos 138 quilómetros entre Dreux e Tourville-la-Campagne, no termo de uma chegada em pelotão e que não provocou a mudança de líder na geral individual, a cargo do francês Julien Bérard.

No segundo dia na Volta a França do Futuro Sub-23, a Selecção Nacional teve em Nélson Oliveira o seu principal protagonista ao integrar, na companhia de de uma vintena de ciclistas a mais notada ofensiva da etapa, com apenas 20 quilómetros de prova. O campeão nacional de contra-relógio disputou o sprint bonificado em Baux-Sainte-Croix, ao quilómetro 39, acabando na segunda posição suplantando pelo holandês Michel Kreder. 

Com o avanço máximo de 1m45s a diminuir rapidamente sob o comando da selecção francesa, os contra-ataques seccionaram o grupo avançado a uma escapada solitária do francês Desriac que permaneceu destacado do marco quilométrico 99 até à entrada no último quilómetro de prova. No sprint, Paiani bateu  o belga Kris Boeckmans e o suíço Michael Baer.

Entre os seleccionados lusos o melhor representante na jornada foi José Gonçalves, na 33ª posição. Igualmente com o mesmo tempo do vencedor terminaram Nélson Oliveira (50º) e Ricardo Vilela (55º), ao passo que Marco Cunha, vítima de queda a sete quilómetros do risco, cedeu 1m11s ao concluir a etapa na 80ª posição. Por sua vez, Joni Brandão e Carlos Baltazar terminaram com forte atraso pelo segundo dia em sucessão, na posição 100 e 101º, respectivamente, ambos a 21m21s. Na geral individual, Nélson Oliveira, no 10º lugar, é o melhor português na tabela. A terceira etapa da prova gaulesa decorre na distância de189 quilómetros entre as localidades de Le Thuit-Signol a Compiègne.

"O nosso desempenho foi mais positivo do que na etapa anterior, pois entramos na principal fuga do dia e colocamos novamente os nossos melhores corredores na geral individual com o mesmo tempo do vencedor. A excepção foi Marco Cunha, vítima de uma queda a sete quilómetros do risco e no qual não conseguiu recolar novamente ao pelotão. Trata-se das primeiras etapas e adaptação dos corredores, sem grande surpresa, está a custar mais do que no ano passado. Apesar das melhorias já hoje verificadas algumas dificuldades são visíveis com os menos experientes caso do Carlos Baltazar e do Joni Brandão. Reconheço que dificilmente faremos a corrida do ano passado mas estamos já a trabalhar o futuro com corredores de segundo ano na categoria que apresentam capacidade para evoluir."
José Poeira, seleccionador nacional

CLASSIFICAÇÕES
2ª etapa: Dreux - Tourville-la-Campagne, 138 km
Média de 46.4 km/h

1º Jean Lou Paiani (França B), 2h58m23s
2º Kris Boeckmans (Bélgica), mt
3º Michael Baer (Suíça), mt
4º Marko Kump (Eslovénia), mt
5º Timofey Kritskiy (Rússia), mt
(...)
33º José Gonçalves (Portugal), mt
50º Nélson Oliveira (Portugal), mt
55º Ricardo Vilela (Portugal), mt
80º Marco Cunha (Portugal), a 1m11s
100º Joni Brandão (Portugal), a 21m21s
101º Carlos Baltazar (Portugal), mt

Geral individual
1º Julien Berard (França B), 5h56m32s
2º Romain Sicard (França A), a 7s
3º Jean Lou Paiani (França B), a 1m38s
4º Dennis Van Winden (Holanda), a 1m40s
5º Michel Kreder (Holanda), mt
(...)
10º Nélson Oliveira (Portugal), a 1m46s
60º Ricardo Vilela (Portugal), a 1m48s
67º Marco Cunha (Portugal), a 2m59s
71º José Gonçalves (Portugal), a 3m55s
101º Joni Brandão (Portugal), a 35m49s
102º Carlos Baltazar (Portugal), mt

Fonte: UVP/FPC 06/09/2009