Confederação do Desporto de Portugal
 
CDP Comunicação e Marketing Notícias Desporto FPAtletismo Atletismo - Marisa Barros: "Na maratona ainda posso fazer melhor"

Atletismo - Marisa Barros: "Na maratona ainda posso fazer melhor"

O triunfo e o registo (2h26m03s) conseguidos na Maratona de Sevilha colocaram Marisa Barros no topo das melhores portuguesas de sempre, só ultrapassada por Rosa Mota e Manuela Machado. Mesmo tendo 17 anos de atletismo, ela continua deslumbrada e numa fase de paixão pela maratona.

Só Rosa Mota e Manuela Machado têm melhores tempos do que o seu na maratona. Qual é a sensação?

Muito boa. Fiquei contente por me aproximar das melhores. São referências de quando eu era criança. A Manuela nem tanto, mas a Rosa era a minha referência quando andava no ciclo preparatório. Aliás, foi ela que me entregou a primeira taça e já era campeã olímpica. Saber que só mesmo elas estão, para já, à minha frente, é muito bom.

Diz "para já"... Acha que vai fazer ainda melhor?
Não… Bem, da maneira que corri e consegui a marca, talvez possa fazer ainda melhor. Pelo menos da Manuela estou próxima; a Rosa está num outro patamar. O "para já" quer dizer que outras atletas vão fazer a maratona. Tal como eu fiz esta marca, pode lá chegar mais alguém.

Na sua carreira notam-se progressos até júnior e depois um decréscimo...

Em júnior passei uma fase menos boa, porque iniciei uma actividade profissional. Agora compreendo bem porque as coisas corriam mal. Só fiz o nono ano e fui trabalhar para uma confecção, oito horas por dia… Tinha sempre força para treinar, mas os resultados pioraram.

Começou a trabalhar com que idade?
Aos 15 anos.

Esteve nessa fábrica quanto tempo?
Oito anos.

Até há bem pouco, portanto...
Até 2003, e ainda estava no Braga. Foi então que pensámos melhorar a minha vida. Como casei e estava no Braga, estudámos uma estratégia de treino, para poder evoluir. Passei a treinar duas vezes por dia. De manhã, às seis horas, em vez de ir de autocarro trabalhar, ia a correr de casa até à terra da fábrica e onde a minha sogra morava. Tomava banho em casa dela e ia trabalhar. À tarde voltava a treinar.

Teve resultados?
Nesse ano fui segunda nos Nacionais, atrás da Jessica Augusto. Mas passava a vida lesionada. Em 2003 deixei a fábrica e, pensando que ia levar uma vida melhor, fui trabalhar para Braga, num part-time de cinco horas diárias num snack-bar, trabalhando ao sábado também. Como vivi sempre em Paços de Ferreira, ia de manhã para Braga e só regressava por volta das 22 horas… Em 2005, o Braga ficou sem motorista e fiquei com o lugar. Por isso, saía de casa às sete da manhã e chegava muitas vezes perto da meia-noite!

Quando acabou essa vida?
Só em 2007, quando o António Ascensão me disse para arriscar e que me ajudava.
"Tive de levar o meu irmão para conseguir fazer atletismo"

Como começou a praticar atletismo?
Como muita gente, iniciei a actividade na escola preparatória, em Freamunde, em 1992. Participei nos corta-matos do quinto e sexto anos. Como fui campeã, ganhei logo o gosto pela corrida. Os meus pais não me deixaram prosseguir, dizendo que só depois de terminar a escolaridade obrigatória - na altura era o sexto ano - é que poderia praticar atletismo.

A partir de quando o fez?
No fim do sexto ano. Havia um grupo lá na terra que tinha treinador, o senhor Ricardo... Mas tive de levar o meu irmão mais velho, porque era a única rapariga do grupo e naquela altura não era fácil uma rapariga treinar só com rapazes.

Quando teve um clube?
Um ano depois fui para o clube da terra, o Leões da Citânea de Sanfins, de Paços de Ferreira, onde só estive uma época. Dei nas vistas a ganhar provas de estrada e o Vizela interessou-se por mim. Na época seguinte transferi-me para lá.

Melhorou a partir daí?...
Sim, comecei a treinar mais especificamente e a participar em provas federadas.

Os seus pais mudaram de opinião?
Sim, embora o meu irmão tivesse de continuar a acompanhar-me. O meu pai passou a levar-me às competições. Tentei envolver a minha família no atletismo para ser mais fácil.

Fonte: O Jogo 02/04/2009

Parceiros Oficiais

Logótipo da Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto. Logótipo do Instituto Português do Desporto e Juventude. Logótipo da Câmara Municipal de Oeiras. Logótipo da Câmara Municipal de Oeiras. Logótipo dos Jogos Santa Casa.

Parceiros Comerciais

Logótipo da agência de viagens Cosmos. Logótipo da Sagres. Logótipo da Multicert. Logótipo da MDS.

Parceiros Comunicação

Logótipo da RTP. Logótipo do SAPO Desporto. Logótipo de "A Bola".
Este site utiliza cookies para ajudar a sua experiência de navegação. Ao navegar sem desativar os cookies, estará a concordar com a nossa política de cookies e com os nossos Termos, Condições e Política de Privacidade.