Confederação do Desporto de Portugal
 
CDP Comunicação e Marketing Notícias Desporto FPAtletismo Atletismo - Meeting de Lausana: Évora na rota dos milhões

Atletismo - Meeting de Lausana: Évora na rota dos milhões

O ano passado, 44% dos gastos da IAAF foram para prémios. Uma verba imensa, atendendo a que o organismo tinha um orçamento de 43,5 milhões de euros, mas que não é entregue por simpatia.  
{mosimage} 
O ano passado, 44% dos gastos da IAAF (Federação Internacional de Atletismo) foram para prémios. Uma verba imensa, atendendo a que o organismo tinha um orçamento de 43,5 milhões de euros, mas que não é entregue por simpatia.

A IAAF percebeu, na última década, ser esse o caminho para gerar uma verdadeira espiral de dinheiro, ao congregar os principais meetings num calendário mundial que também não pára de se desenvolver.

O Athletissima, prova que hoje ao fim da tarde se realiza em Lausana, tendo Nelson Évora e Naide Gomes como duas das vedetas inscritas, é um dos momentos principais do carrossel de provas que vai terminar dias 13 e 14, com a final do chamado World Athletics Tour, em Estugarda.

E agora já se percebe melhor como na Suíça se vão juntar 36 medalhados olímpicos, 12 deles de ouro.

O atletismo internacional, e retirando-lhe Jogos Olímpicos e Mundiais, tem já uma organização poderosa nas pistas.

Existe a chamada Golden League, com as seis competições mais poderosas - e que distribui um milhão de dólares entre os que somarem seis vitórias -, seguida do Super Grand Prix, com cinco torneios, entre os quais o de Lausana, e ainda o Grand Prix, com as 13 provas seguintes.

Todas pontuam para a final de Estugarda e têm tabelas de prémios mínimos, como os 500 mil dólares (340 mil euros) do torneio suíço, que oferece 5400 euros pela vitória na maioria das provas, duplicando o valor para os 100 e 200 metros, onde estarão Asafa Powell e Usain Bolt.

Na final, que se realiza dentro de duas semanas, o "bolo" total é de três milhões, pelo que os prémios se multiplicam por seis.

Mas não são apenas estes números que chamam os atletas. Os mais famosos alinham a troco de cachets de presença, na maioria dos casos superiores ao que podem facturar na pista, o que significa dependerem as start lists de personagens menos conhecidas do grande público, os empresários.

Agentes como o espanhol Miguel Mostaza, que representa 121 atletas, tendo entre eles Nelson Évora, Rui Silva e Francis Obikwelu, ou como o irlandês Ricky Simms, que passou a ter em Bolt a superestrela dos seus 80 atletas, é que negoceiam o êxito dos meetings.

E será para melhor controlar a sua influência que a IAAF já prepara novo passo em frente: depois de 2009, quer espalhar por todo o Mundo a ronda dos seus torneios mais fortes - actualmente concentram-se na Europa -, para, como informou em Pequim, "com um forte parceiro televisivo e um marketing centralizado, dar mais dinheiro aos atletas".

E ganhar mais algum, claro, que chega para todos…

Fonte: OJOGO

Parceiros Oficiais

Logótipo da Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto. Logótipo do Instituto Português do Desporto e Juventude. Logótipo da Câmara Municipal de Oeiras. Logótipo da Câmara Municipal de Oeiras. Logótipo dos Jogos Santa Casa.

Parceiros Comerciais

Logótipo da agência de viagens Cosmos. Logótipo da Sagres. Logótipo da Multicert. Logótipo da MDS.

Parceiros Comunicação

Logótipo da RTP. Logótipo do SAPO Desporto. Logótipo de "A Bola".
Este site utiliza cookies para ajudar a sua experiência de navegação. Ao navegar sem desativar os cookies, estará a concordar com a nossa política de cookies e com os nossos Termos, Condições e Política de Privacidade.