Motociclismo - Red Bull Moto GP: Miguel Oliveira conquistou a 2.ª vitória

Cerca de 80.000 espectadores tiveram o privilégio de ver uma grande corrida de Miguel Oliveira, na Red Bull Moto GP Rookies Cup, prova que decorreu após a corrida de Moto GP da Holanda, no circuito de TT Assen. 
Image 

Cerca de 80.000 espectadores tiveram hoje o privilégio de ver uma grande corrida de Miguel Oliveira, na Red Bull Moto GP Rookies Cup, prova que decorreu após a corrida de Moto GP da Holanda, no circuito de TT Assen.

Uma verdadeira explosão de alegria para Portugal, que no espaço de uma semana viu o seu jovem (13 anos) o piloto Miguel Oliveira, ganhar duas corridas integradas nos GP de Inglaterra e da Holanda, por coincidência dois dos mais carismáticos de todo o Mundial. Não satisfeito ainda com a excepcional exibição, bateu o record do circuito na sua categoria, tirando um segundo ao tempo da Pole de 6.ª Feira

Desconhecendo, ambos os traçados, o piloto começa a chamar a atenção dos grandes patrões das marcas, que o viram subir ao pódio e novamente escutaram o hino nacional, pela segunda vez consecutiva no curto espaço de uma semana. Os treinos não correram muito bem, apesar de Miguel Oliveira ter melhorado o seu tempo em um segundo, na segunda sessão de qualificação, foi-lhe destinado o sexto lugar da grelha, na segunda linha a 0,686s do repetente Sturla Fagerhaug que lidera a Red Bull Moto Gp Rookies Cup.

A corrida de 16 voltas, na pista que é uma das catedrais do motociclismo mundial, à qual não faltam à chamada para verem as corridas, motards de toda a Europa, foi o palco de uma das mais loucas provas do fim-de-semana, ao ser a única competição em que todos os pilotos correm com motos iguais, as KTM RC 125 com 45 cavalos de potência e 136 kg de peso.

Miguel Oliveira, nem conseguiu explicar bem o que se passou nas primeiras voltas, caindo do sexto lugar para 15.º na volta inicial, vítima de grande confusão gerada na partida. A partir daí o piloto apoiado pela Vodafone e FIAT, fez uma corrida ao género de Alain Prost, gerindo perfeitamente a sua estratégia de ataque, tendo em conta que a corrida tinha 16 voltas.

"Arranquei muito mal e até à primeira curva fui passado por toda a gente. Tive uma péssima travagem, e depois na curva oito ao tentar reagir voltei a errar e fui dar a volta à escapatória. Na primeira passagem pela meta estava no 14.º lugar, e como pior não era possível, acreditei que podia levar uns pontos se tudo viesse a correr bem até ao fim", explicou Miguel Oliveira, pela segunda vez convidado pela Red Bull Portugal para usufruir dos "Wild Cards", aos quais não podia ter correspondido da melhor forma.

O piloto que deverá estar dentro de dois anos no Mundial de 125, explicou o resto da corrida: "durante algumas voltas andei envolvido numa luta ao milímetro com o Hoyle, o Fagerhaug e o Kartheininger, entre outros, subindo um ou dois lugares por volta, até chegar à 14.º volta, quando faltavam duas para o final, já era segundo, sempre a ganhar tempo ao líder da corrida e do campeonato. Vi que estava muito melhor e na penúltima volta passei para o primeiro lugar e consegui ainda uma vantagem de 3,5 segundos até à linha da meta", contou Miguel Oliveira que deixou o terceiro classificado Matthew Hoyle, a 3,9s,

O piloto da Charneca da Caparica levou 29m46,585s. a cumprir as 16 voltas à pista Holandesa, e bateu o recorde da volta mais rápida em corrida que cumpriu em 1m49,5s, marca um segundo melhor do que a realizada pelo piloto que realizou Pole Position. Miguel conta agora com 58 pontos, subindo mais uns lugares no campeonato.


Fonte: DCA 29/06/2008