Confederação do Desporto de Portugal
 
CDP Comunicação e Marketing Notícias CDP Geral Carlos Cardoso ao "O Norte Desportivo" - Aprovação do Orçamento é a maior preocupação (04/12/2004)

Carlos Cardoso ao "O Norte Desportivo" - Aprovação do Orçamento é a maior preocupação (04/12/2004)

A dissolução da Assembleia da República, que sucedeu à demissão do Ministro do Desporto, Henrique Chaves – numa altura em que se criara no movimento associativo alguma expectativa em face da «elevação» do desporto à categoria de área ministeriável –, poderá ter consequências nefastas para o actual contexto politico-desportivo nacional, nomeadamente na aplicação do Orçamento de Estado para 2005. E esta torna-se, por isso, a principal preocupação da Confederação do Desporto de Portugal (CDP), como revela o seu presidente, Carlos Cardoso, ao ND: “Temos esperança que o Orçamento seja aprovado na segunda-feira, para não haver atrasos como os verificados este ano, em que os contratos-programa para a alta competição só foram assinados em Junho/Julho, o que criou grandes problemas às maiores Federações”.
No entanto, outras implicações poderá ter também, no desporto, o actual panorama político nacional, como na urgente definição estratégica do que se pretende para o desporto português para os próximos anos e ainda no o das grandes decisões que estão associadas à regulamentação da Lei Quadro do Desporto, cujo prazo que a própria lei encerra para a sua efectivação se aproxima do fim.
“E o movimento associativo ainda não foi chamado para participar em qualquer discussão respeitante à Lei de Bases”, acrescenta Carlos Cardoso.

Ministério pode não ser solução
Carlos Cardoso não afirma peremptoriamente que esta seja a prova do desrespeito da classe política pelo desporto, mas concorda que as sucessivas alterações governamentais têm contribuído para o permanente adiar de um desporto de qualidade: “Sentimos que o desporto sofreu apenas uma mini-remodelação – sem colocar Henrique Chaves em causa –, uma remodelação menor, ainda para mais por parte de um ministro que queria sair do Governo”.
Facto é que tudo isto poderá significar um retrocesso no reconhecimento do fenómeno desportivo no contexto estratégico do governo, que não quer dizer que possa ser resolvido com a criação de um Ministério do Desporto.
“Durante muitos anos, o desporto esteve incluído no Ministério da Educação, depois passou a ser gerido pelo ministro-adjunto do Primeiro Ministro. Funcionou bem com uns, pior com outros… Quando existiu um Ministro do Desporto, e desta vez, foi o que se viu! Foi catastrófico. O problema do desporto é transversal. Um ministro a gerir o desporto dentro de outro ministério teria dificuldades, junto do Primeiro Ministro poderia ter alguns privilégios. Mas o ideal seria, sem dúvida, um ministério. Mas isso depende das pessoas e das vontades”, aponta.

Parceiros Oficiais

Logótipo da Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto. Logótipo do Instituto Português do Desporto e Juventude. Logótipo da Câmara Municipal de Oeiras. Logótipo da Câmara Municipal de Oeiras. Logótipo dos Jogos Santa Casa.

Parceiros Comerciais

Logótipo da agência de viagens Cosmos. Logótipo da Sagres. Logótipo da Multicert. Logótipo da MDS.

Parceiros Comunicação

Logótipo da RTP. Logótipo do SAPO Desporto. Logótipo de "A Bola".
Este site utiliza cookies para ajudar a sua experiência de navegação. Ao navegar sem desativar os cookies, estará a concordar com a nossa política de cookies e com os nossos Termos, Condições e Política de Privacidade.