Desporto não pode ficar de fora dos apoios financeiros disponibilizados pelo Governo

A 2ª Cimeira das Federações Desportivas, que decorreu esta tarde com a presença quer no Pavilhão Multiusos, quer por videoconferência, de um elevado número de federações desportivas, aprovou por unanimidade a moção apresentada "Juntos pelo Desporto". O documento tem como temas fundamentais a Retoma das Atividades do Desporto Federado em Segurança; a Sustentabilidade do Modelo Desportivo e Valorização Social do Desporto; o Turismo Desportivo; o Sistema Fiscal; o Impacto Económico e Financeiro do Setor e, a Mobilização Desportiva e será agora apresentado junto do Governo.

Na sua intervenção de abertura o presidente do Comité Olímpico de Portugal, José Manuel Constantino, defendeu que o desporto e o movimento associativo não podem ficar de fora dos apoios que o governo tem previstos para apoiar os diversos setores da sociedade, sob pena de grande parte do tecido desportivo desaparecer.

Já o presidente do Comité Paralímpico de Portugal, José Manuel Lourenço, destacou a convergência que tem existido entre o COP, o CPP e a CDP, o que tem permitido a apresentação de soluções de transversais ao desporto nacional.

A encerrar a sessão Carlos Paula Cardoso, presidente da Confederação do Desporto de Portugal, defendeu que o movimento associativo deve cumprir as normas da DGS, mas também deve ter a capacidade de mostrar junto da DGS que o desporto tem especificidades que devem permitir manter o seu normal funcionamento.

Foram ainda aprovadas duas recomendações apresentadas por Jorge Vieira, presidente da Federação Portuguesa de Atletismo. Foi recomendada a organização anual da Cimeira das Federações Desportivas e a organização anual de uma Convenção de diretores técnicos nacionais de todas as modalidades desportivas, “tendo em vista, em ambos os momentos um acompanhamento do desenvolvimento nacional devidamente integrado e holístico”.

A união e a mudança foram as ideias fundamentais defendidas pelos presentes na 2ª Cimeira das Federações Desportivas. A união do movimento associativo é fundamental para a mudança que se pretende e se defende junto das entidades governativas seja uma realidade num futuro próximo.

A sessão foi oficialmente aberta pelo vereador do Desporto de Odivelas, Paulo Teixeira.

A 2.ª Cimeira das Federações Desportivas foi promovida pelo Comité Olímpico de Portugal, Comité Paralímpico de Portugal e Confederação do Desporto de Portugal e que contou nesta sua segunda edição com a adesão da Comissão de Atletas Olímpicos, Comissão de Atletas Paralímpicos e Confederação de Treinadores de Portugal. O Conselho Nacional de Associações dos Profissionais de Educação Física e Desporto e a Associação dos Atletas Olímpicos de Portugal participaram na qualidade de observadores.

Moção 2a Cimeira das Federações Desportivas


Lisboa, 12 de janeiro de 2021